Definitivamente, o brasileiro é um povo apaixonado por comemorações. E, também, em contar com o ovo ainda na barriga da galinha. Exemplo recente disso foi a reação, com direito a manifestações pirotécnicas, de boa parte dos agentes da cadeia agronegócio nacional face ao anúncio da imposição de taxas e outros “quetais” às importações de produtos chineses para os Estados Unidos, com o objetivo de reduzir o déficit comercial com o país asiático, sucedido – em ato contínuo, como, aliás,  não poderia deixar de ser – pela divulgação de um corolário de retaliações da China, que deverão ser aplicadas às operações comerciais realizadas entre os players daquela potência do Oriente e os conterrâneos de Donald Trump a partir de agora.

A ideia – equivocada, diga-se de saída – era de que o imbroglio em que ambos os países estavam se envolvendo abriria uma “janela de oportunidade” para as operações do agro brasileiro, notadamente nos casos da soja, da carne suína e do etanol. Só que não é bem assim, como pontua a reportagem de “Cenários”, que você lê nesta edição da Revista AgriMotor, na qual se explica, entre outras coisas, porque, no médio e longo prazos, o estouro do rojão pode se transformar em mero traque de biriba.

Nesta edição, que circula na Agrishow 2018, em Ribeirão Preto/SP, você vai encontrar também um excitante artigo escrito por Britaldo Fernandez, presidente, CIO e sócio-fundador da Solinftec, empresa brasileira de agricultura digital, sobre como, no âmbito da revolução em curso no setor, a Inteligência Artificial promete ocupar papel de destaque e transformar o agronegócio, com impactos em toda a sua cadeia.

Como foco na instrumentação do agro para dar rápidas respostas às demandas negociais que devem se intensificar ao longo de 2018, trazemos também nas páginas deste número da AgriMotor reportagens que traçam os perfis e planos de duas empresas bastante atuantes em nosso segmento, a Dagan – indústria especializada na produção de tubos de aço, com ampla destinação de produtos ao segmento de máquinas e equipamentos agrícolas – e a ZF Engrenagens, uma das maiores fornecedoras mundiais de sistemas de transmissão e tecnologia de chassis para veículos, entre os quais, é claro, aqueles largamente utilizados no campo.

E esta edição é complementada com textos primorosos e de leitura obrigatória para quem quer entender mais dos temas que permeiam o agronegócio, elaborados por nossos articulistas parceiros e amplamente capacitados em suas esferas de conhecimento. Isso, sem falar de nossas seções de lançamentos de produtos, agenda de eventos e estatísticas de mercado, para você se atualizar.

Bem, é isso: boa leitura, um grande abraço e votos de muito sucesso em seus negócios!

Marcus Frediani
Repórter Especial da AgriMotor

Nota da redação: matéria publicada na edição 104 da revista Agrimotor