A ARPAC, startup voltada para serviços e tecnologias agrícolas, acaba de iniciar suas operações nos Estados Unidos com o primeiro voo de drones realizado nos Estados de Indiana e Illinois em agosto. A iniciativa é fruto de uma parceria que acontece no Brasil, desde 2018, entre a ARPAC e a Taranis – startup israelense de tecnologia de monitoramento agrícola de precisão. Ambas uniram seus know-hows de desenvolvimento e operação de drones agrícolas e o uso de inteligência artificial para detecção de anomalias. Juntas, as empresas chegaram a sobrevoar 75 mil hectares, principalmente nas regiões Sul e Sudeste do Brasil.

Desde o início da parceria, este trabalho agrícola conjunto tem gerado resultados satisfatórios. Isso porque as equipes de operação de campo têm o treinamento completo e utilizam o drone fabricado pela própria ARPAC, que conta com 25 funcionários e já recebeu R$ 2,5 milhões em investimentos, gerando imagens de alta resolução que são enviadas para análise da Taranis e disponibilizadas aos produtores rurais. Após receber as imagens, a startup israelense realiza análises completas para identificação de pragas, doença e plantas daninhas. Assim, é possível visualizar a lavoura de forma ampla e ágil, e detectar anomalias na produção com alto nível de detalhamento para tomadas de decisão mais assertivas.

No Brasil, as principais culturas já trabalhadas a partir desta parceria são soja, milho, cana e arroz, enquanto que nos Estados Unidos, inicialmente, serão soja e milho.

Fonte: Assessoria de imprensa